Escritores: Miguel Hernández, a liberdade feita poesia.

Miguel Hernández nasceu em 30 de outubro de 1910 em Orihuela, Espanha, sendo o terceiro filho de sete que seus pais teriam. pastor de cabras desde muito cedo, teve uma educação formal intermitente e para 1923, ganha uma bolsa de estudos em um colégio jesuita que seu pai rejeita para que Miguel se dedique exclusivamente ao cuidado do gado. No entanto, o interesse do jovem Miguel pela literatura não diminuiu e continuou sua educação de forma autodidata na biblioteca pública, onde conhece outros como ele e formam um grupo literário. Em 1931 com vinte anos ganha seu único prêmio literário e graças as suas publicações em revistas de literatura, viaja a Madri. Nessa cidade, conseguirá trabalho e sua situação econômica melhorará até o começo da Guerra Civil Espanhola, em 1936, quando se alista no lado republicano para lutar contra o fascista e futuro ditador da Espanha, o general Franco. 

No meio do conflito, casa-se com Josefina Manresa; seu primeiro filho nasce em dezembro mas morre ao pouco tempo. Em 1939, com Miguel na prisão após os republicanos perderem a guerra, nasce seu segundo filho para quem escreve um dos seus poemas mais bonitos, "Nanas de cebolla" após receber uma carta da esposa na qual conta que só tinham cebola e pão para comer. Miguel consegue sair da cadeia graças aos pedidos do seu amigo, o poeta chileno Pablo Neruda e os amigos pedem para ele sair do país. Ignorando as advertências, retorna a Orihuela onde é detido e condenado a morte em 1940. Novamente, amigos do poeta conseguem interceder e a condena do escritor é conmutada por 30 anos de cadeia. 

Em 28 de março de 1942, morria na prisão de tifus. Só tinha 31 anos quando faleceu mas sua luta pela liberdade e seus poemas o tornaram um grande exemplo para as gerações futuras.


0 comentários:

Postar um comentário